Mulheres blogueiras

Como as mulheres contribuíram para a evolução dos blogs, e como os blogs podem dar voz às mulheres.

No dia 07/09 foi publicada, no jornal Página Popular de Hortolândia – SP, a matéria Profissão: Blogueira, em que tive o prazer de contribuir com alguns pontos.

Ao responder as perguntas para a matéria, comecei a refletir sobre como o universo dos blogs evoluiu e qual é o peso da participação das mulheres nessa equação.

No início, os blogs eram como diários, onde as pessoas escreviam sobre seus cotidianos. Aos poucos, os blogs começaram a focar em assuntos mais específicos: as pessoas começaram a escrever sobre seus hobbies e interesses, com o intuito de compartilhar informações sobre estes temas. Assim foram surgindo milhares de blogs sobre os mais diversos assuntos: viagens, gastronomia, música, cinema, pets…

Como era de se esperar, assuntos como moda, maquiagem e filhos foram adotados pelas mulheres blogueiras. E durante muito tempo, falar em blogueira era o mesmo que dizer blogueira de moda. As It Girls – mulheres que ditam tendências e são referência no mundo da moda – eram as únicas que ganhavam destaque e se profissionalizavam como blogueiras, através de um trabalho sério de parcerias com marcas e presença em eventos.

Mas hoje vejo um cenário muito mais diverso. As pessoas (e as próprias mulheres) estão descobrindo que o universo feminino é simplesmente o universo! Ou seja, embora, no geral, nós mulheres tenhamos mais afinidade com moda do que os homens, não estamos restritas a estes temas. Todos os assuntos nos competem! Viagens, gastronomia, bem-estar, ciência, tecnologia, programação, política, cultura nerd e geek, e todos os outros mundos estão sendo “invadidos” por nós mulheres.

E o homens também estão quebrando estes paradigmas. Beleza masculina, filhos, tarefas domésticas e até feminismo estão sendo temas de blogs masculinos.

Além dos blogs pessoais, os blogs de empresas também estão atentos à essas mudanças. Já que vivemos em uma época onde as audiências das marcas tem sua voz amplificada através das redes sociais e outros meios interativos, as empresas precisam entender cada vez mais o seu público para postar informações relevantes. E, com todas estas mudanças, as mulheres são um público com quem muitas marcas erram na hora de se comunicar.

As mulheres também estão mais envolvidas na programação e design dos blogs. Muitas delas, após criar um blog pessoal, descobriram nesta atividade uma profissão.

O fato é: as mulheres estão publicando mais sobre tudo, em todos os meios, e estão sendo cada vez mais ouvidas e ecoadas.

Autor

Uma das fundadoras da Haste Design, é bacharel em Design pelo Centro Universitário SENAC, Técnica em Design Gráfico pela ETEC Carlos de Campos, Docente em cursos livres no SENAC. Atua há 6 anos com design, sendo 4 deles a frente da Haste.

Tags: