WordPress low code, no code e code: conheça as abordagens de desenvolvimento

Para cada site WordPress, podem ser adotadas diferentes abordagens de desenvolvimento. Entenda a diferença entre elas.

WordPress low code, no code e code. Imagem ilustrativa.

O WordPress é a plataforma mais utilizada no mundo para criação e gerenciamento de sites. Muito disso se deve a sua facilidade de uso, que possibilita que qualquer pessoa crie o seu próprio site, desde o usuário mais iniciante até o mais avançado.

Além disso, o WordPress pode ser utilizado para qualquer tipo de projeto, como blogs básicos ou grandes lojas virtuais. Por causa disso, existem diferentes tipos de abordagem que podem ser adotadas para o desenvolvimento de sites WordPress.

Cada uma possui suas vantagens e desvantagens, então o objetivo deste artigo é fazer com que você entenda cada uma delas para decidir qual se adequa melhor ao seu tipo de projeto.

No code (sem código)

A primeira abordagem é a no code (sem código), como o nome diz é a utilização do WordPress sem envolver escrita de código, apenas utilizando suas ferramentas nativas, temas e plugins.

Esta é uma das abordagens mais subestimadas de uso da plataforma. Muitas vezes as críticas a esta abordagem se concentram muito em suas limitações, porém a grande variedade de ferramentas a disposição da plataforma tornam bastante versáteis os resultados possíveis de se obter, sem necessidade de escrever uma linha de código.

Além de funcionalidades, o design também pode ser bastante explorado. Além de temas bastante flexíveis à disposição da plataforma, o novo editor de blocos e os já consagrados construtores visuais permitem isso.

Certa vez ouvi uma frase que possui lá sua verdade e se encaixa bem a este contexto: “O software mais barato é aquele que já está pronto.”

Low code (pouco código)

A segunda abordagem é a chamada low code (pouco código). Como o próprio nome sugere, consiste em incluir a escrita de código, se necessário, em funcionalidades pontuais, o mínimo que for possível.

Muitas vezes um plugin ou tema pode não ser exatamente o que o projeto demanda, mas pequenos ajustes ou extensões podem fazê-los se encaixar perfeitamente. Para pessoas ou equipes com conhecimento de programação, essa é uma abordagem bastante recorrente no universo WordPress.

A dificuldade nesse contexto é entender o que os plugins e temas são capazes de fazer, e conhecer seus pontos de extensão, para que se extraia o máximo com o mínimo de escrita de código.

Code (escrevendo código)

A última abordagem é a code (escrevendo código). Diferente do que muitos podem pensar, há bastante espaço, e pode ser realmente desafiador e complexo, o desenvolvimento de soluções WordPress que envolvam código.

O WordPress possui um consolidado sistema de desenvolvimento de temas, APIs internas diversas para extensão dos tipos de conteúdos e criação de plugins, REST API para criação de conexões externas, o novo editor de blocos escrito em React, só para citar alguns aspectos.

É a abordagem mais adequada quando se tem demandas específicas, design de interface próprio, ou uma funcionalidade não coberta por nenhum plugin (acredite, nem tudo já foi feito, muitos projetos ainda necessitam dessa demanda personalizada).

O maior desafio, além de ser necessário conhecimentos mais avançados de programação, é o custo, pois esta abordagem, via de regra, é a que demanda um maior investimento. Em contrapartida, as limitações nesta abordagem são muito menores e estão nas mão de quem irá desenvolver.

Qual abordagem seguir em seu projeto?

Escolher a abordagem nem sempre é fácil, e alguns projetos podem ser atendidos por mais de uma delas, adaptando-o ou fazendo algumas concessões. Sugiro que leve em consideração os seguintes pontos:

  • Conhecimentos/Habilidade de quem irá desenvolver;
  • Prazo;
  • Orçamento;
  • Requisitos.

Analisando estes quatro pontos você terá uma ideia melhor ideal das necessidades do projeto, e assim de qual caminho escolher.

Espero que com este texto eu tenha sido capaz de explicar um pouco mais dos caminhos que um trabalho em cima do WordPress pode tomar. E você, tem alguma coisa a acrescentar, alguma observação? Deixe nos comentários!

Compartilhe

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *